Após trote, MPF/DF recebe representação contra UnB

www.correiobraziliense.com.br

Antonio Temóteo
Manoela Alcântara
Publicação: 19/03/2012 16:04 Atualização: 19/03/2012 16:59
Foi feita nesta segunda-feira (19/3) a primeira denúncia formal sobre os abusos nos trotes na Universidade de Brasília (UnB).

O coordenador da Confederação Nacional de Pais e Alunos (Confenapa) e presidente da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF (Aspa-DF), Luis Claudio Megiorin, esteve na tarde desta segunda-feira (19/3) no Ministério Público Federal no DF e entrou com uma representação contra a UnB, para que sejam apurados os casos de bullying e violência durante os trotes da Universidade. “Esses crimes precisam ser apurados. Não podemos admitir que nossos filhos sofram esse tipo de abuso dentro da Universidade”, declarou Luis Megiorin.

Saiba mais…
Trote em calouros da UnB preocupa pais e Ministério Público Federal UnB começa nesta segunda investigação sobre trote sujo na instituição Decanato de Assuntos Comunitários da UnB diz que vai apurar trote sujo Trote sujo em xeque
O Conselho Universitário (Consuni) irá votar nesta sexta-feira (23/3), as regras de convivência da UnB. Essas regras estabelecerão pela primeira vez as diretrizes dentro da Universidade. Uma das propostas estabelece que qualquer trote que submeta o calouro ou qualquer membro da comunidade acadêmica a ações de tortura, a tratamento ou castigo cruel deve ser proibido.