Atingida por fogo, Creche Alecrim vai reabrir, mas ainda precisa de doações

Nos últimos dias, 16 operários, cedidos por uma empresa, deram início à reforma que deve ser concluída nesta sexta-feira (16/2)

Em 7 de fevereiro, as chamas destruíram a cozinha, o refeitório e o depósito da instituição que abriga 107 crianças, de zero a 5 anos. A reforma, que contou com apoio da comunidade, deve ser concluída hoje (foto: Divulgação)

Um verdadeiro mutirão de solidariedade se formou para deixar a Creche Alecrim em condições de reabrir as portas e voltar a receber as 107 crianças que atende, na Cidade Estrutural. Há exatos nove dias, a cozinha, o depósito e o refeitório da instituição beneficente foram consumidos por um incêndio. Em pleno carnaval, 16 operários, cedidos por uma empresa, deram início à reforma que deve ser concluída hoje, com a colocação de pias e torneiras.

“Foram seis dias de trabalho intenso, sem folga para ninguém brincar na festa do Momo”, confirmou o supervisor da obra, Francielto de Sousa Miranda, 36 anos. A intenção é deixar o prédio em condições para o ano letivo começar na próxima segunda-feira, planeja a coordenadora-geral da creche, Maria de Jesus Pereira de Sousa.

Continua depois da publicidade

“Graças a Deus, conseguimos muitas coisas. Estou feliz porque as pessoas se mostraram dispostas a nos ajudar. Mas o que temos ainda não é o suficiente para atender os alunos, faltam utensílios básicos de cozinha e alimentos, por exemplo”, enfatizou Maria de Jesus. A instituição recebe crianças de zero até 5 anos que passam o dia no local enquanto seus pais trabalham. Na maioria, são catadores de material reciclável que trabalhavam no antigo Aterro Sanitário do Jóquei.

Para a doméstica Noélia Rodrigues, 31 anos, moradora da Estrutural, o retorno das aulas na creche é importante para todos os pais. De segunda a sexta-feira, ela deixa João Paulo Rodrigues, 5, aos cuidados dos voluntários. “Precisamos da escolinha, porque trabalhamos o dia inteiro. Se não fosse a creche, não teria condições de pagar alguém para ficar com meu filho. Seria um gasto que não tenho como arcar”, afirmou a mãe.

A coordenadora-geral da creche, Maria de Jesus Pereira de Sousa, mostra as doações encaminhadas pela comunidade na última semana (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

Os pequenos ficam na Alecrim das 8h às 17h e fazem cinco refeições por dia, do café da manhã ao jantar. Para muitos pais, a alimentação oferecida pela instituição é essencial para que o dinheiro ganho com o trabalho árduo renda um pouco mais dentro de casa. É o caso do trabalhador rural José Francisco de Oliveira Souza, 40, pai de Luís Felipe Araújo de Souza, 4. “Como ele faz as refeições na escola, quando chega em casa, apenas reforçamos o jantar. É custo a menos no bolso e que ajuda muito, que ajuda em outras contas”, relata o morador da Estrutural.

Para José, as atividades na creche são importantes para o progresso de Luís. “Meu filho Antônio, que está com 7 anos, também frequentou aqui. Quando ele foi para o fundamental, já sabia muita coisa”, falou, orgulhoso. Entre as atividades oferecidas para as crianças, há rodas de conversas, projeção de filmes, aulas de dança, o aprendizado do alfabeto e numerais, sem dispensar a diversão no parquinho.

De acordo com a mãe e cozinheira Maronita Batista de Oliveira, 43, a creche é como a segunda casa para de Matheus Batista dos Santos, 3. “Aqui é um lugar seguro e que tenho confiança em deixar meu filho. Sei que está em boas mãos. O Matheus ama estar aqui e tem um carinho enorme pelas tias e os amiguinhos. A creche faz um trabalho indispensável para a comunidade”, opinou.

Reaproveitamento

Os trabalhadores refizeram a parte elétrica, os encanamentos, o contrapiso, reformaram paredes e o teto dos ambientes danificados pelo fogo. Há pouco mais de uma semana, um dos fornos pegou fogo quando as cozinheiras finalizavam o almoço. Pelo menos 80 crianças estavam na instituição, sendo 17 delas bebês de colo. Ninguém ficou ferido.

Na reforma, foram aproveitadas algumas estruturas, como o reboco da parede, “que foi apenas reforçado antes de receber os ladrilhos”, explicou a coordenadora. Parte do telhado foi reforçado e as paredes, pintadas. Porém, os recursos não foram suficientes para uma reforma geral. “Não tivemos como mexer no telhado da sala de aula”, lamentou. Outros ambientes, como banheiros e quartos, não precisaram ser mexidos.

Além da obra, a comunidade doou alimentos e panelas, que foram perdidos no incêndio. Entretanto, Maria de Jesus Pereira de Sousa disse que ainda é preciso mais donativos para atender os alunos com tranquilidade.

Na cozinha, faltam pratos, talheres, copos e panos de louça. Como o estoque também foi perdido, a instituição precisa de itens básicos como arroz, feijão, leite e biscoitos. Para a higiene dos pequenos, é necessário pasta de dente, papel higiênico, fraldas, talco, sabonete e toalhas de banho.

Apesar das dificuldades, para Maronita está perfeito. “Quando vi tudo ajeitadinho de novo, fiquei super feliz. É muito bom ver que a segunda casa do meu filho está tão linda para atender às crianças”, disse a mãe, com um largo sorriso no rosto.

Às voltas com o que ainda falta ser arrumado, Maria de Jesus planeja também dar mais cor à fachada da escola, pintada de bege, como os ambientes internos. “Estamos vendo se grafiteiros topam nos ajudar. Quero que a entrada passe a sensação de alegria que temos aqui dentro da escola”, concluiu.

O que doar

» Material de construção e oferta de mão de obra
» Utensílios de cozinha
» Materiais de limpeza em geral
» Material de higiene pessoal, inclusive fraldas
» Alimentos não perecíveis
» Leite e sucos
» Brinquedos

Local

Creche Alecrim
Quadra 1, Conjunto 4, Lote 1 — Estrutural
Horário de visita: das 14h às 16h
Telefones: 3465-6005 ou 99575 0755

Site: www.correiobraziliense.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *