Trem do metrô que descarrilou apresentou falha nos freios antes do acidente


Segundo a assessoria do Metrô/DF, o trem que saiu dos trilhos, na manhã desta quarta-feira (28), apresentou falha nos freios pouco antes do acidente. Por isso, os passageiros que seguiam viagem nele tiveram de descer na estação Águas Claras. O descarrilamento aconteceu depois disso, quando o condutor levava o trem para a área de manutenção, na mesma estação.

A empresa, no entanto, não confirmou que esse problema no freio foi o motivo de o trem sair dos trilhos. A perícia ainda avalia essa possibilidade. No fim da amnhã, os esforços eram para tirar o trem do caminho. Depois disso, os trilhos passariam por manutenção.

Segundo o diretor do Departamento de Manutenção e Operação do Metrô/DF, Carlos Alexandre Cunha, será preciso desconectar os carros do veículo danificado e encaminhá-los ao parque de manutenção da estatal. Depois, realinhar os trilhos da via, que também foram afetados.

O serviço deve durar todo o dia e a madrugada.
A previsão é de que o metrô volte a funcionar normalmente amanhã. Ou seja, a volta para casa de quem trabalho no Plano Piloto e ora em Águas Claras, Ceilândia e Samambaia deve ser complicada.

No começo da tarde, os carros que saíam de Samambaia e Ceilândia seguiam apenas até Águas Claras, e vice-versa. A partir da estação Guará, os trens seguem para a estação Central, na Rodoviária do Plano Piloto. A estação Arniqueiras é a única que não está funcionando.

De acordo com o tenente Daniel Oliveira, do Corpo de Bombeiros do DF, toda a estação está desativada e com a energia desligada para evitar acidentes. “Os trilhos ficaram danificados e a frente do painel do trem também. A parte metálica foi a mais danificada”, completou. “De Águas Claras até Ceilândia esquece. Isso não será consertado hoje”, frisou o tenente.

Impacto no trânsito

O diretor Carlos Alexandre Cunha não descartou o impacto no trânsito devido à interrupção da estação Arniqueiras. Com isso, Cunha acionou o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (DFTrans) para desafogar a demanda na região. “Será intenso e não temos previsão de término dos trabalhos. Esperamos finalizar a retirada ainda hoje, mas, se for necessário, estendemos durante a madrugada”, completou o diretor.

Nas redondezas da estação Arniqueiras, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) está fazendo o controle das vias. Os militares estão tentando contato com os donos dos veículos estacionados na região para evitar que haja congestionamentos.
Site: www.correiobraziliense.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *