Atualmente, temos mais de 4 milhões de brasileiros (as) enlutados (as) por mortes diagnósticadas pelo COVID-19 e, muitas outras, por outras causas de morte.

A perda de pessoas queridas é um evento extremamente desorganizador, que pode trazer consequências sérias, se não for abordado de maneira correta.

Sabendo da importância deste assunto, na próxima sexta-feira às 20 horas, estaremos fazendo esta live.

A intenção é prestar um serviço à sociedade, chegando ao maior número possível de enlutados (as).

Será quase na véspera do dia das mães.
Para muitas mães, será a primeira vez que irão celebrar esta data depois da morte do seu filho ou da sua filha.
Para muitos filhos e filhas também será a primeira vez, após a morte de sua mãe.

Iremos falar sobre os lutos maternos, luto em tempos de COVID, as manifestações do luto, o que não dizer ao enlutado, como ajudar um enlutado, o processo de enlutamento etc.

Teremos tradução em libras.

Equipe PSICOM BRASIL (Psicologia e Comunhão)

Transmissão pelo Instagram:
https://instagram.com/psicombr?igshid=1xelpaq1gfmh2

E pelo YouTube:

Espero você!
Gratidão!!!🥰

Tânia Maria Borges
Psicóloga Clínica
CRP 01/4327-2
(61) 9.9213.1031

UnB está com 15 seleções abertas para professores; salário de até R$ 9,6 mil

A Universidade de Brasília (UnB) está com vários concursos públicos e processos seletivos com inscrições abertas destinadas à contratação de professores de magistério superior efetivos e substitutos. Os salários chegam a R$ 9.616,18. Veja os detalhes:

Edital nº70/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em Medicina ou Odontologia, Doutorado em Bioética

Unidade de Lotação: Centro Internacional de Bioética e Humanidades

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 9 de abril de 2021

Edital nº72/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Doutorado na área de Microbiologia ou áreas afins

Unidade de Lotação: Biologia Celular

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº75/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em Fonoaudiologia e Doutorado em Fonoaudiologia ou áreas afins

Unidade de Lotação: Faculdade de Ceilândia

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº76/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em Fonoaudiologia e Doutorado em Fonoaudiologia ou áreas afins

Unidade de Lotação: Faculdade de Ceilândia

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº77/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Doutorado em Psicologia ou em áreas afins; e Graduação em Psicologia com Habilitação Psicólogo e inscrição no Conselho Regional de Psicologia

Unidade de Lotação: Departamento de Psicologia Clínica

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº80/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Diploma de Graduação em Medicina; Residência Médica ou título de Especialista em Cardiologia; e Doutorado em Ciências Médicas ou Ciências da Saúde

Unidade de Lotação: Faculdade de Medicina

Número de Vagas: 2 vaga

Remuneração: 5.831,21

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº81/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em Medicina, Residência Médica na área de Pneumologia e Doutorado em Medicina ou em Áreas afins

Unidade de Lotação: Faculdade de Medicina

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 5.831,21

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº85/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Doutorado em Medicina ou em Ciências da Saúde ou em Ciências Médicas, residência médica em ginecologia e obstetrícia ou cirurgia

geral e residência ou especialização ou título de especialista em Mastologia

Unidade de Lotação: Faculdade de Medicina

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 5.831,21

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº86/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Doutorado em Química ou áreas afins

Unidade de Lotação: Instituto de Química

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº87/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Doutorado em engenharia elétrica ou áreas afins

Unidade de Lotação: Departamento de Engenharia Elétrica

Número de Vagas: 1 vaga e formação de cadastro reserva

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº88/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em m Engenharia Civil e Doutorado em Transportes, Infraestrutura de Transportes ou áreas afins

Unidade de Lotação: Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Número de Vagas: 1 vaga e formação de cadastro reserva

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº89/2021

Cargo: Professor de Magistério Superior (Adjunto “A” / Nível 1 / Classe A)

Requisito Básico: Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Doutorado em Arquitetura e Urbanismo, Tecnologia, ou áreas afins

Unidade de Lotação: Departamento de Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo

Número de Vagas: 1 vaga e formação de cadastro reserva

Remuneração: 9.616,18

Inscrição: até 30 de abril de 2021

Edital nº103/2021

Cargo: Professor substituto

Requisito Básico: Mestrado na área de Artes Cênicas

Unidade de Lotação: Departamento de Artes Cênicas

Número de Vagas: 1 vaga

Remuneração: R$ 4.304,92

Inscrição: até 16 de abril de 2021

Edital nº110/2021

Cargo: Professor substituto

Requisito Básico: Doutorado na área de Ciências Biológicas ou áreas afins

Unidade de Lotação: CEL

Número de Vagas: 1 vaga e formação de cadastro reserva

Remuneração: R$ 3.522,21

Inscrição: até 16 de abril de 2021

Edital nº111/2021

Cargo: Professor substituto

Requisito Básico: Mestrado na área de Estatística ou em áreas afins

Unidade de Lotação: Departamento de Estatística

Número de Vagas: 1 vaga e formação de cadastro reserva

Remuneração: R$ 2.795,40

Inscrição: até 16 de abril de 2021

Confira os editais e inscreva-se aqui!

Fonte: http://concursos.correioweb.com.br/

Salários de até R$ 16 mil: saiba quais seleções estão com inscrições abertas em Goiás

Três seleções com vagas em Goiás estão com inscrições abertas para profissionais de todos os níveis de escolaridade. As oportunidades são para os municípios de Planaltina, Goiânia, Turvânia e Aparecida de Goiânia e a remuneração pode chegar a R$ 16,4 mil! Confira os detalhes de cada edital:

Prefeitura de Planaltina
O concurso público da Câmara de Planaltina de Goiás, com 108 vagas de nível médio e nível superior, está com inscrições abertas até 12 de abril. A aplicação das provas objetivas foi remarcada para 13 de junho. São 18 vagas imediatas e 90 de cadastro reserva distribuídas nos cargos de motorista, assessor de comunicação, controlador interno, analista de recursos humanos, analista administrativo e analista jurídico. Os salários variam entre R$ 1.500 e R$ 2.100.

As inscrições devem ser feitas pelo site da banca organizadora do certame, o Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib). Há taxa de inscrição, cujo valor é de R$ 70 e R$ 90, a depender do cargo. Saiba mais!

Prefeitura de Turvânia
A Prefeitura de Turvânia oferta 57 vagas temporárias em novo processo seletivo aberto. As vagas são para profissionais de todos os níveis de escolaridade. A remuneração varia de R$ 1.241,48 a R$ 2.536,38 por jornada de trabalho de 30 a 40 horas semanais.

Os interessados poderão se inscrever até às 17h de 22 de abril por meio de entrega presencial de formulário de inscrição e documentações exigidas na Sala da Comissão Organizadora do Processo Seletivo Simplificado, localizada na Prefeitura Municipal. Não há taxa de participação. Saiba mais!

IGH
O Instituto de Gestão e Humanização (IGH) também está com processo seletivo aberto. O edital visa contratar profissionais com deficiência (PcD/Reabilitados) por meio de formação de cadastro reserva. Após contratados, os profissionais serão lotados em centros hospitalares em Goiânia e Aparecida de Goiânia. Há vagas para todos os níveis de escolaridade em diversos cargos, que têm como jornada de trabalho 12 a 44 horas semanais e remuneração de R$ 1.126,44 a R$ 16.423,64 por mês.

As inscrições serão aceitas até 9 de agosto mediante envio de documentação requisitada no edital para o endereço de e-mail selecao.rh@igh.org.br. Saiba mais!

Fonte: http://concursos.correioweb.com.br

Último dia! Ministério da Economia encerra hoje inscrições para 590 vagas

O Ministério da Economia encerra nesta quinta-feira (8/4) o período de inscrições para o processo seletivo simplificado para preenchimento de 590 vagas, sendo 100 vagas imediatas.

Interessados podem realizar o cadastro pela internet, através do endereço eletrônico www.idib.org.br. A taxa é de R$36 (nível médio) ou R$38 (superior).

Os exames, que estavam marcados para 4 de abril, agora, estão marcado para 6 de junho de 2021.

[FOTO3]As provas objetivas serão realizadas na cidade de Brasília-DF em locais que serão divulgados oportunamente por meio do site da banca. Poderão ser utilizadas cidades circunvizinhas, dependendo da necessidade.

A seleção
Ao todo são 590 vagas, sendo 100 vagas temporárias imediatas e formação de cadastro reserva de 490. Os salários variam entre R# 1.700 e R$ 6.130.

As vagas serão para os cargos temporários de coordenador de análise de prestação de contas, analista de prestação de contas, agente de apoio de prestação de contas e analista de instauração de tomada de contas especial. Veja:

Coordenador de análise de prestação de contas: Serão 4 vagas. Exigência de graduação em Administração, Economia, Contabilidade ou Direito; mais experiência profissional superior a três anos em organizações públicas ou privadas na sua área de atuação ou possuir título de pós-graduação lato sensu, mestrado ou doutorado na área. Salário de R$ 6.130.

Analista de prestação de contas: Serão 48 vagas. Exigência de graduação em qualquer área de formação. Salário de R$ 3.800.

Agente de apoio de prestação de contas: Serão 8 vagas. Exigência de nível médio técnico em Administração, Contabilidade ou informática. Salário de R$ 1.700.

Analista de instauração de tomada de contas especial: Serão 40 vagas. Exigência de graduação em qualquer área de formação. Salário de R$ 3.800.

Os profissionais a serem contratados serão alocados em subunidades da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade – SEPEC – Secretaria de Políticas Públicas de Emprego – SPPE e Subsecretaria de Supervisão e Estratégia – SUPE – para desempenhar, entre outras, atividades relacionadas à apoio, coordenação e exame, referente a todas as etapas que compõe o processo de análise de prestação de contas, relativas aos instrumentos firmados e/ou celebrados pela Secretaria de Políticas Públicas de Emprego, e à instrução e formalização de processos de Tomada de Constas Especial – TCE , expedindo manifestação conclusiva acerca do assunto.

Dentre os requisitos, é necessário apresentar diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível médio ou nível superior, a depender da função escolhida, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério de Educação, comprovado por meio de apresentação de original e cópia do respectivo documento.

Confira aqui o edital completo!

Fonte: http://concursos.correioweb.com.br

Dra. Nathalia Toleto – Como “turbinar” sua máscara cirúrgica simples!

Olá pessoal!!

Neste vídeo ensino como ajustar e usar de forma correta a sua máscara cirúrgica simples, tornando-a mais segura para você e para os outros. Você está usando de forma correta?

Sabia que tem um lado correto para usar?

Se gostou, dá um like ❤️ e compartilha com os amigos!!

Estou à disposição para tirar possíveis dúvidas! ✅

Obs: Vídeo inspirado no da dra @dra.leticiakawano ! Achei muito bacana e resolvi fazer um também para compartilhar com vocês! 🙌🏻😊 sigam o perfil dela que é riquíssimo em conteúdo informativo e baseado em evidência científica!

DF: 12 motoristas são multados por dia pela falta de cadeirinha

Entre janeiro e novembro, foram 3.903 multas referentes à falta ou ao uso inadequado do item. Em 2018, o número de delitos chegou a 2.832

Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) registrou aumento na quantidade de infrações por transporte de crianças de forma irregular em 2019. Entre janeiro e novembro de 2018, o número de delitos referentes à falta ou ao uso inadequado da cadeirinha no carro ficou em 2.832. No mesmo período deste ano, foram registradas 3.903 infrações.

Isso significa que houve um aumento de 1.071 multas no DF comparando os dois intervalos. Entre janeiro e novembro de 2018, então, o Detran multou diariamente mais de 8 motoristas devido a essa infração. Em 2019, foram aproximadamente 12 multas por dia, considerando os 11 meses.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transportar criança de forma irregular (sem equipamento de retenção ou com equipamento incorreto) é uma infração gravíssima.

A multa para quem cometer a infração, de acordo com o artigo 168 do CTB, é de R$ 293,47. Além disso, são descontados 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o veículo é retido até que a irregularidade seja sanada.

Conforme o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o equipamento mais adequado varia de acordo com a idade ou o peso das crianças. Veja as especificações a seguir:

Crianças de até 1 ano — ou 13 kg, dependendo da recomendação do fabricante: devem ser transportadas no bebê-conforto ou em uma poltrona reversível, sempre no banco traseiro e voltado para o vidro de trás do veículo;
Crianças de 1 a 4 anos — aproximadamente 9 kg a 18 kg: devem usar a poltrona reversível no banco de trás, mas virada para a frente do veículo;
Crianças de 4 a 7 anos e meio — com cerca de 18 kg a 36 kg: precisam usar um assento de elevação, também chamado de booster, no banco traseiro do veículo, junto com o cinto de segurança de três pontos;
Crianças de 7 anos e meio a 10 anos: devem viajar no banco traseiro do carro com o cinto de segurança de três pontos. Alguns especialistas recomendam que as crianças usem o assento de elevação até que tenham pelo menos 1,45 m de altura, por questões de segurança. A partir de 10 anos de idade, a criança não precisa, obrigatoriamente, viajar na cadeirinha, mas deve viajar no banco traseiro, sempre com cinto de segurança.

Proteção

De acordo com estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso da cadeirinha reduz em 70% a chance de morte de bebês em acidentes. No caso de crianças, o risco de óbito é minimizado entre 54% e 80%, conforme a idade.

Morador da Asa Norte, o vendedor Fábio Santos, 30 anos, é pai de duas meninas, de 3 e 8 anos. Ao Metrópoles, ele contou que só sai de casa com a caçula, Fabiana, sentada na cadeirinha. A mais velha, Rafaela, já não precisa mais utilizar o apoio de elevação. “Mas sempre que a gente viaja de carro, eu a coloco no assento para proteger”, disse.

“Até este ano, a Rafa usava o assento. Entretanto, agora, o cinto de segurança já não pega mais no pescoço dela. Então já saímos sem ele”, completou Fábio.

“Uso fundamental”
Samira Mara Santos, 37 anos, é mãe do pequeno Davi, de 3 anos, e nunca sai sem colocar o filho na cadeirinha adequada. “Nós somos quatro pessoas na minha família. Então, só tenho uma vaga para passageiro no carro, e não abro mão. Não é por medo de multa, é porque o uso da cadeirinha é fundamental”, ressaltou ela.

Em 2009, Samira sofreu um acidente de trânsito com o filho mais velho, que hoje tem 14 anos. Ainda criança, ele estava sentado em uma cadeirinha e não sofreu nenhum ferimento.

“Ele tinha apenas 4 anos na época. Estávamos na estrada. Meu marido dormiu e acabamos caindo numa vala. Mas meu filho nem acordou, não sentiu nada, porque estava na cadeirinha. Então, eu prezo muito pelo uso dela”, destacou.


Samira Mara e o filho Davi, de 3 anos

Mudanças no Código de Trânsito
Em junho deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entregou à Câmara dos Deputados um projeto de lei com algumas mudanças no CTB. Entre elas, o PL propõe alterar as regras para o transporte de crianças, retirando as multas para motoristas que não estiverem usando o equipamento de segurança.

Caso a proposta seja aprovada no Congresso, a violação das regras “será punida apenas com advertência por escrito”. A proposta, que ainda não chegou ao Senado, está mobilizando deputados para alterar o conteúdo, que atacam os pontos mais caros ao presidente.

Relator da matéria na comissão especial da Câmara, Juscelino Filho (DEM-MA) apresentou, no fim de novembro, um parecer no qual defende a alteração de pontos, como a retirada da punição pelo descumprimento do uso da cadeirinha para crianças.

Apesar disso, o presidente tem reforçado o posicionamento pela manutenção do texto. Nesta semana, ele reclamou do tratamento dado pelo relator do projeto e disse que vai vetar as mudanças feitas pelo parlamentar.

“Lógico que vai vetar, mas a última palavra é do parlamento. Com 257 pessoas votando ‘não’, derruba o veto. Ou seja, a ideia de desburocratizar, facilitar a vida de quem produz, que é o motorista, vai ser prejudicada tendo em vista a ação do relator”, disparou o presidente.

Leia mais em metropoles.com

Parque Maria Cláudia de Siqueira Del’Isola

Em abril do ano em curso, o Movimento Maria Cláudia Pela Paz foi procurado por uma moradora da SQS 113, indignada com a violência acontecida com uma universitária. A jovem, diariamente percorria o caminho para o metrô, passando pela lateral do espaço abandonado, entre a 112/113 Sul, quando foi arrastada para a área que deveria ser um espaço de recreação e lazer. Ocorre que a área estava mal iluminada e coberta por um imenso matagal, o que facilitou a ação perversa do agressor.
Do encontro com alguns dos moradores da 113 sul, veio a ideia de se fazer uma ação a favor da vida chamando a atenção do GDF para o crescente índice de violência em nossa cidade.
Ao mesmo tempo, a prefeitura da SQS 113, acionava os órgãos do governo afim de revitalizar aquele espaço, transformando-o em uma área de convivência e que, por iniciativa dos moradores deveria ser chamado de Parque Maria Cláudia de Siqueira Del’Isola, vítima da barbárie humana.
Logo, o deputado Wellington Luiz (que na época do assassinato de Maria Cláudia, era policial civil e acompanhou todo o drama da família) tomou conhecimento do pleito e, não só encaminhou o assunto para um Projeto de Lei como também destinou verba parlamentar para implementação do parque.
Foram realizadas reuniões com o presidente da Novacap e equipe técnica, ficando encarregados do projeto e da realização de algumas obras, além de viabilizar a licitação para aquisição de brinquedos infantis e da construção de um pequeno anfiteatro para realização de encontros de reflexão e cultura. O projeto do parque possibilita a convivência fraterna e fortalecimento de vínculos. O parque também ganhou dois PECs (Pontos de Encontro Comunitário) do deputado Robério Negreiros.
As obras caminham. Nossa vontade é ver concretizado o mais rápido possível um espaço de luz e de amor em nossa capital, como o que certamente será o Parque Maria Cláudia de Siqueira Del’Isola, assim denominado pela lei nº 6.266 do último dia 19 deste mês, sancionada pelo Governador do DF, Rodrigo Rollemberg.
Marta Janeth
Vice-Presidente do Movimento Maria Cláudia Pela Paz

Brasiliense tenta se matar, é salvo por PM e reconstrói a vida

Há nove meses, Valdenilson Gomes tentou tirar a própria vida, mas foi salvo por policial militar que hoje é um dos seus melhores amigos

Brasília(DF), 18/07/2018 – Valdenilson Gomes tentou suicídio há um ano. Conta ao metrópoles como foi a superação e sobre a ajuda que teve do Sargento Henrique Luiz. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

As lembranças são recorrentes. Todo santo dia, Valdenilson Gomes, 42 anos, recorda-se daquela sexta-feira, 20 de outubro de 2017. Naquele dia, há nove meses, ele tentou acabar com a própria vida, jogando-se de uma passarela de pedestres perto do Núcleo Bandeirante. O homem vivia um período difícil, à beira do desespero e desequilíbrio emocional, e não suportava as dores do cotidiano.Em meio a uma crise de depressão potencializada pelo uso de drogas, Valdenilson chegou em casa e discutiu com mulher e filhos. Desesperado, tentou se enforcar. Não conseguiu. Depois, saiu andando a esmo, até chegar ao local onde decidira atentar novamente contra si mesmo.

Brasília(DF), 18/07/2018 – Valdenilson Gomes tentou suicídio há um ano. Conta ao metrópoles como foi a superação e sobre a ajuda que teve do Sargento Henrique Luiz. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Por volta de 18h15, acordou do “transe”. Foi quando policiais militares conversaram com ele, na tentativa bem-sucedida de evitar que o homem se lançasse do alto da passarela. A PM havia sido acionada por uma testemunha. Do outro lado da linha, a pessoa disse que um homem tentava se matar. Era Valdenilson.

Sem dúvidas, aquele foi o pior dia de toda a minha vida. Na manhã seguinte, eu só conseguia pensar: ‘O que eu fiz, meu Deus?’. Não foi a primeira vez que eu havia tentado fazer uma coisa dessas, mas a sensação era diferente e algo despertou em mim um sentimento de que era a última. Tudo isso veio com a vontade de viver. Eu ganhei mais uma chance”
Valdenilson Gomes

Valdenilson nasceu em Alvorada (TO), mas chegou em Brasília ainda criança. Ele conta que teve uma infância turbulenta e começou a trabalhar cedo, como aeroportuário. Com a dependência química, porém, precisou ser afastado do serviço e acabou se envolvendo com “pessoas erradas”.

“Passei alguns dias preso por porte ilegal de arma. Sofri muito na cadeia. Ao sair, tentei viver normalmente com a minha família, mas não sabia lidar com o problema das drogas. Fiquei depressivo e o uso de entorpecentes só aumentava o meu sofrimento. Decidi ir embora de casa e tentei tirar a minha vida, pela primeira vez, em 2013”, relata.

O aeroportuário fez tratamento contra a dependência química em uma clínica de reabilitação, mas, em 2017, sofreu uma recaída e voltou a usar substâncias ilícitas. Sem fazer alarde, decidiu não mais viver: “Foram várias decepções e traumas. Hoje, eu prefiro esquecer”.

Recomeço
Agora, em acompanhamento psicológico e psiquiátrico, Valdenilson decidiu contar sua história e mostrar que é possível superar traumas e seguir a vida com pensamentos otimistas.

Depois do salvamento, pensei na minha família. Eles poderiam estar destroçados com a perda. Faço uma reflexão sobre a oportunidade de vida que Jesus me deu, e digo: quem passa pelo que eu passei tem a necessidade de desabafar e dividir a dor com alguém”
Valdenilson Gomes

E uma das pessoas que mais acreditam nessa recuperação é justamente quem o salvou naquele momento de pânico, o sargento da PM Henrique Luiz. Lotado no 28º Batalhão (Riacho Fundo), o policial não gosta de ser chamado de herói. Para ele, o que fez naquela noite foi fruto de preparo. “Qualquer policial militar que passasse por ali poderia ter feito o mesmo. O que contou para contornar a situação foi o treinamento e a capacitação”, afirma.

Veja imagens* e assista ao depoimento de Valdenilson:

Da dor, nasceu uma amizade
Os dois se reencontraram após a ocorrência e, hoje, têm uma relação de amizade próxima. “Visito a casa do Nilson [como a vítima é carinhosamente chamada pelo policial] quase semanalmente. Conversamos sobre a vida e sobre por que vale viver. A história dele me tocou muito e decidi acompanhá-lo. Viramos parceiros nessa luta”, conta o sargento Henrique.

“Atualmente, depois da minha esposa e dos meus filhos, o sargento Henrique é o meu maior incentivador. Agradeço a ele pela solidariedade, amizade e por me salvar, devolvendo a minha vontade de viver”, diz Valdenilson. Cheio de sonhos e planos, ele comemora a vida e fala que “devagar, devagar, a tristeza está dando lugar à alegria”.

“A força e o apoio da minha família na recuperação são essenciais. Estou me apegando às coisas que mais gosto de fazer, como cuidar dos bichos e das plantas, especialmente as orquídeas, e também cozinhar. Juntos, conseguiremos vencer”, diz, convicto.

Dedicada ao estudo do suicídio há 10 anos, a psiquiatra Renata Viana diz que, após tentar se matar, o ideal é a pessoa ser encaminhada a um psiquiatra e medicada. E, além disso, também deve ter o acompanhamento de um terapeuta e o apoio da família.

A especialista mostra ainda que, no momento de dor, é preciso aconselhar, ajudar e, sobretudo, estar disposto a se aproximar de alguém que demonstra estar sofrendo ou apresentando mudanças acentuadas e bruscas de comportamento. “Se a pessoa não se sentir capaz de lidar com o problema, deve ir em busca de quem possa fazê-lo mais adequadamente”, ressalta.

Fonte: https://www.metropoles.com/