Sommelier realiza cursos em Brasília sobre azeites premium

Sommelier de azeites Paulo Freitas, graduado por duas instituições italianas, estará na cidade e ministrará palestras sobre azeites premium

Promover a cultura do azeite no país é um dos principais objetivos de vida de Paulo Freitas. O sommelier de azeites ou em italiano, assaggiatori di olio, realiza palestras sobre o assunto em vários estados Brasileiros e fora do país. É professor convidado nos principais cursos de gastronomia do Brasil, além de ser consultor de empresas nacionais e multinacionais de azeites e foi o revisor técnico do livro “Guia Ilustrado Zahar de Azeites”.

Neste mês, a convite da presidente da Eixo Cultura, Margarete Malvar, que está à frente da empresa focada em experiências culturais, Paulo Freitas estará na cidade para promover, entre os dias 24 e 26 de abril eventos sobre azeites premium. Ele ocorrerá em três momentos, em dias diferentes, confira abaixo.

Paulo Freitas

Jantar com menu degustação

No dia 24, terça-feira, às 20h, haverá no Restaurante Ouriço, localizado no Lago Sul, um jantar com menu degustação. Simultaneamente será realizada uma palestra que irá mostrar aos participantes os tipos de harmonizações que podem ser feitas. Há 30 vagas, o jantar sem bebidas sairá no valor de R$ 280.

Os azeites que serão degustados:

– Oro del Desierto (orgânico) – Espanhol
– Il Genio – Italiano
– Caixeiro – Português
– Olibi – Brasileiro
– Goccia Umbra Limão – Italiano

Confira o menu do Restaurante Ouriço:

Entradas:
– Bruschetta de camarão ou
– Tartare de atum

Pratos principais:
– Risoto de camarão ou
– Peixe do dia

Sobremesa:
– Brownie, caramelo e sorvete.

Curso com aula de harmonização

Na quarta-feira, dia 25, às 19h, o sommelier ministrará um curso de “Introdução ao mundo dos azeites” no Senac da 903 Sul. Será um evento com duas horas e meia de duração. Na ocasião os presentes irão harmonizar azeites com diferentes tipos de queijos e pães artesanais, respectivamente da Apulia Queijos e Mozzarella Artesanais Italianos e a Le Pain Rustique. Há 40 vagas e o curso será no valor de R$ 150.

Os azeites que serão degustados:
– Oro del Desierto (orgânico) – Espanhol
– Il Genio – Italiano
– Caixeiro – Português
– Olibi e Fazenda Irarema – Brasileiro
– Goccia Umbra Limão – Italiano

Palestra, harmonização e degustação de empratados

Na quinta-feira, dia 26, às 19h, o encontro ocorrerá no empório gourmet Eu Chef, que fica na 408 Sul. Durante o evento será servido empratados em pequenas porções, preparados pelos chefs Kalene Morais e Jomar Antunes, que serão harmonizados com azeites vendidos no próprio empório. Simultaneamente Paulo Freitas ministrará uma palestra sobre harmonização e haverá degustação de azeites. Há 20 vagas, o curso será no valor de R$ 120,00.

Empratados que serão servidos:
– Risotto
– Carne de cordeiro
– Sorvete

Os azeites que serão degustados:
– Don Eladio – Uruguaio
– San Domenico – Italiano
– Santini – Italiano
– Azeite à Laranja – Italiano

Serviço
Dia 24/04, às 20h, 30 vagas
Restaurante Ouriço:
Lago Sul – SHIS QI 21, Bloco D, Loja 44.
Jantar menu degustação, sem bebidas, e palestra.
Valor: R$ 280,00

Dia 25/04, às 19h, 40 vagas
Faculdade Senac DF – SEPS 703/903 Sul – Asa Sul – Auditório.
Curso de 2h30 com harmonização com pães artesanais e queijos.]
Valor: R$ 150,00

Dia 26/04, às 19h, 20 vagas
Eu Chef – 408 Sul, Bloco D, Loja 11.
Harmonização de empratados e palestra.
Valor: R$ 120,00

Inscrições e dúvidas:
Telefone: (61) 9982-6666 / (61) 99981-3388
E-mail: contato@eixocultura.com.br
Site: www.eixocultura.com.br

 

Polícia Militar do DF aumenta número de vagas para mulheres e altera a data da prova

A retificação veio após recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)

02/03/2018 10:43 | Atualização: 02/03/2018 12:08

Mariana Fernandes

OMDF/DivulgaçãoA Polícia Militar do DF (PMDF) divulgou, no Diário Oficial desta sexta-feira (2/3), retificação do edital que altera diversos pontos do concurso público que oferece 2.024 vagas. Entre eles, o aumento do número de vagas para mulheres, que concorrerão ao cargo de combatente, a data de aplicação das provas objetivas e discursivas e a inclusão da Lei Maria da Penha no conteúdo programático.

A retificação veio após recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Para o MP, a restrição de apenas 50 vagas para mulheres, do total de 500 para o cargo de soldado, e a ausência de vagas reservadas para negros e pardos são ilegais. Além disso, pediu a inclusão da Lei Maria da Penha na parte de conhecimentos específicos.

O documento, elaborado pelo Núcleo de Direitos Humanos e pela Promotoria de Justiça Militar do MPDFT, recomendou que seja retirado o limite de 50 vagas às candidatas para possibilitar que as mulheres concorram aos 500 postos disponíveis no certame e à formação de cadastro reserva de 1.500 vagas. No entendimento dos promotores de Justiça, “o edital violou os princípios da legalidade, razoabilidade e igualdade e criou obstáculos ao direito ao livre acesso a cargo público, assegurado nos incisos I e II do art. 37 da Constituição Federal”.

Ainda de acordo com o MP, a limitação a apenas 50 vagas para admissão imediata e 150 para formação de cadastro de reserva não atinge sequer a recomendação da lei nº 9.713/98 que limita às mulheres a até 10% das vagas disponíveis nos quadros da PMDF. Segundo o MPDFT, atualmente existem na PMDF apenas 911 policiais militares do sexo feminino, montante muito inferior ao previsto na norma legal, tanto considerando o efetivo previsto de 18.673 postos quanto os 10.038 no efetivo existente.

Em resposta, o Iades comunicou, nesta sexta-feira (2), que os pedidos de impugnação foram devidamente analisados e julgados pela banca e pelo Departamento de Gestão de Pessoal da Polícia Milita do DF e que alterações foram feitas.

O Iades informou também que os pedidos de impugnação, bem como as respectivas justificativas para o deferimento/indeferimento, encontram-se disponíveis para consulta pública na Central de Atendimento ao Candidato do Iades, a partir de 5 de março.

Confira as retificações publicas nesta sexta-feira (2) pelo Iades:

Edital de combatentes

O concurso destinado a combatentes da Polícia Militar oferece ao todo 2.000 vagas , sendo 500 imediatas e 1500 de cadastro reserva. Com a retificação, o número de chances imediatas para mulheres aumentou, passando de 50 para 73. Assim como a formação de cadastro de reserva, que antes era 150 e agora é 220.

Dessa forma, diminuiu o número de vagas disponibilizadas para homens. Agora são 427 oportunidades para provimento imediato de candidatos do sexo masculino. Antes, eram 450. Para formação de cadastro de reserva, diminuiu de 1350 para 1280. Confira aqui as alteraões completas.

O cronograma de execução e de divulgação dos resultados do concurso também foi adicionado no edital. A data provável para realização da prova objetiva e discursiva passa a ser 20 de maio de 2018. Antes, o edital previa a realização das provas em 6 de maio. As provas serão aplicadas no turno da tarde e com duração de quatro horas e trinta minutos.

Os testes de aptidão física serão aplicados de 12 a 19 de setembro. Já o resultado final do concurso está previsto para 29 de março de 2019. Confira aqui o cronograma completo.

A retificação do edital da PMDF inclui também no conteúdo programático das provas, entre outras coisas, a Lei nº 11.340/2006 – Lei Maria da Penha, dentro da disciplina de noções de direito penal.

Edital para músicos

O edital para vagas de músicos da PMDF também foi alterado. Dentre várias alterações realizadas, vale destacar a modificação no conteúdo programático exigido para as provas e a também inclusão da Lei Maria da Penha na disciplina de noções de direito. Confira aqui as alterações completas.

Informações de número de vagas e datas não foram modificadas. São seis vagas para músico e 18 para corneteiro, com inscrições até 26 de março, e previsão de que as provas sejam aplicadas em 29 de abril.

O resultado final do concurso para músicos deve acontecer em 19 de junho de 2019.

Inscrições

As inscrições estão abertas e podem ser realizadas pelo site do Iades, até o dia 4 de abril para combatentes e 26 de março para músicos. A taxa é de R$ 88.

O salário é R$ 5.245,41 mais R$ R$ 850 de auxílio-alimentação (soldado de primeira classe) e R$ 4.119,22 mais R$ 850 de alimentação (soldado de segunda classe).

Podem participar candidatos de nível superior de ambos os sexos, com 18 anos completos e no máximo 30 anos de idade até a data de inscrição, que tenham altura mínima de 1,65 (sexo masculino) e 1,60 (sexo feminino).

Além das provas objetivas, o certame ainda prevê teste de aptidão física, avaliação de exames médicos, psicológicos, investigação da vida pregressa e social do candidato e, para quem se inscrever para músico, haverá também uma prova prática instrumental.

Leia mais: PMDF está há seis anos sem renovar pessoal; novo concurso abre 2 mil vagas
Salário e possibilidade de ascensão são os destaques do concurso da PMDF, diz professor

3.400 vagas estão abertas em concursos para polícias civis e militares

A PMDF lidera com a maior oferta de vagas e a PCRS oferece o maior salário aberto

01/03/2018 12:18 | Atualização: 01/03/2018 12:34

Lorena Pacheco

Reprodução/Facebook

Cinco concursos públicos de polícias civis e militares oferecem juntos 3.400 oportunidades. O maior salário é pago pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul, que oferece R$ 20.353,06 aos 100 primeiros colocados no cargo de delegado. Já a maior quantidade de vagas é liderada pela Polícia Militar do Distrito Federal, que abriu mais de 2 mil oportunidades para combatentes.

Polícia Militar do Distrito Federal

As inscrições já estão abertas! O concurso é organizado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) e oferece 500 vagas imediatas para combatente (sendo 450 para homens e 50 para mulheres), além de seis oportunidades para músico e 18 para corneteiro. O restante das chances são para formação de cadastro de reserva, sendo 1.350 postos para homens e 150 para mulheres.

O salário é R$ 5.245,41, mais R$ R$ 850 de auxílio-alimentação (soldado de primeira classe); e R$ 4.119,22, mais R$ 850 de alimentação (soldado de segunda classe). Podem participar candidatos de nível superior de ambos os sexos, com 18 anos completos e no máximo 30 anos de idade até a data de inscrição, que tenham altura mínima de 1,65 (sexo masculino) e 1,60 (sexo feminino).

A inscrição para combatentes deve ser feita até o dia 4 de abril, sob taxa de participação de R$ 88. As provas devem ser aplicadas em 6 de maio. No caso dos músicos, as inscrições vão até 26 de março, com provas em 29 de abril. Concorra aqui!

Leia também: Polícia Civil do DF aguarda autorização de 2,1 mil vagas para novo concurso

Polícia Civil da Bahia

Com salários que vão de R$ 3.915,85 a R$ 11.389,96, a Polícia Civil da Bahia divulgou o edital do concurso público para 1.000 vagas. Do total de chances, 82 são para delegado, 880 para investigador e 38 para e escrivão. Todas exigem formação em nível superior. As inscrições vão até 2 de março, por meio do site da Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho (Vunesp), banca organizadora do certame. A taxa é de R$ 140 ou R$ 160, a depender do cargo escolhido.

Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Quem tem nível superior em direito pode concorrer ao concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. São 100 vagas para delegado de polícia. O salário, após o curso de formação, é de R$ 20.353,06. Os interessados podem se inscrever até 27 de março. A taxa de participação é de R$ 187,77.

Polícia Civil de Minas Gerais

Outras 76 chances também são para quem quer ser delegado, mas desta vez em Minas Gerais. A Polícia Civil do estado oferece salário inicial de R$ 11.475,57, para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, com regime estatutário, a quem é formado e direito. As inscrições poderão ser feitas de 16 de abril a 15 de maio, pelo site da Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc), que é a banca organizadora da seleção. O valor da taxa é de R$ 212.

E mais: Delegacias das polícias civis e da Polícia Federal não têm servidores suficientes

Polícia Militar do Rio Grande do Sul

Quem tem nível superior em ciências jurídicas e sociais pode concorrer a uma das 200 vagas abertas no novo concurso da Polícia Militar (outras 50 chances são para o Corpo de Bombeiros Militar). As oportunidades são para ingresso no Curso Superior de Bombeiro Militar, que terá duração de até dois anos. Os órgãos ainda exigem que os candidatos tenham idade máxima de 29 anos, altura mínima de 1,65m se do sexo masculino e de 1,60m para candidatas do sexo feminino.

Após a conclusão do curso, o aluno-oficial será declarado capitão no Quadro de Oficiais de Estado Maior, e receberá remuneração de R$ 11.620,55, para 40h de trabalho por semana.

Doença do pombo deixa três pessoas hospitalizadas no Distrito Federal

Ao menos cinco moradores do DF foram contaminados, este ano, por fungos presentes nas fezes das aves, concentradas em pontos com concentração de lixo e sobras de comida. Doença causa meningite, complicações cerebrais, pneumonia e até a morte

OA Otávio Augusto

postado em 22/02/2018 06:00 / atualizado em 22/02/2018 12:14

Especialistas recomendam maior controle da população de pombos(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)Especialistas recomendam maior controle da população de pombos(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

Continua depois da publicidade

Três pessoas estão internadas no Hospital de Base contaminadas com criptococose, doença infecciosa letal transmitida por fungos presentes nas fezes de pombos. Dois pacientes receberam alta no início da semana após ficarem quase um mês hospitalizados. O mal causa meningite, complicações cerebrais e pneumonia. O índice de mortalidade, segundo a literatura médica, chega a 70%. Especialistas dizem ser preciso controlar a proliferação dessas aves para reduzir os riscos de infecção.

Embora pareça baixo, os cinco casos são um indicativo da necessidade do monitoramento da população de pombos — considerado praga urbana. Além da criptococose, eles podem transmitir psitacose (que atinge os pulmões), histoplasmose (causa infecções) e salmonelose (afeta o intestino). Os casos não são de notificação compulsória, ou seja, a Secretaria de Saúde não é obrigada a fazer o registro. Mas algumas unidades registraram informalmente casos em 2017. Ninguém morreu no DF com a doença.

Há 19 dias, a família da auxiliar de serviços gerais Valdinéia Almeida Castro, 39 anos, trava uma batalha contra o fungo. Mãe de duas meninas, de 11 e 13 anos, a moradora de Taguatinga faz parte do trio hospitalizado. O primeiro sintoma, uma dor de cabeça forte, apareceu em 3 de fevereiro. Do atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Recanto das Emas à internação no Hospital de Base foram seis dias.

“Os médicos pediram uma tomografia, depois uma ressonância magnética. Havia uma mancha grande no cérebro”, conta a manicure Valquiria Almeida Castro, 43, irmã de Valdinéia.

O fungo causa alterações no trato respiratório e no sistema nervoso central. Dependendo da região do cérebro atingida, diminui a consciência, provoca convulsões, cegueira e surdez. A contaminação ocorre pela aspiração do fungo. “As sequelas são graves. A reação inflamatória pode levar a meningite e a morte”, destaca a neurologista Jerusa Smid da Academia Brasileira de Neurologia.

Controle

O protocolo do Ministério da Saúde destaca como medida preventiva o controle da população dos pombos. “Há locais, como em quadras comerciais, em que o lixo é acondicionado inadequadamente. Não podemos alimentar essas aves”, ressalta a infectologista Joana D’Arc Silva, especialista em medicina tropical.

A Secretaria de Saúde recomenda que em locais onde há muitos pombos os moradores peçam uma inspeção da Diretoria de Vigilância Ambiental, pelo telefone 160. “Os técnicos da diretoria agendarão uma visita para analisar o risco relativo à saúde pública e tomar as providências. A Vigilância Ambiental não faz captura ou eliminação desses animais, porém, nas inspeções, identifica a origem do foco”, explica a pasta, em nota.

A reportagem fez três orçamentos em empresas de dedetização contra pombos. O processo é feito em três fases, custa R$ 900 e deve ser repetido a cada dois meses. Técnicos aplicam inseticida contra o piolho do pombo. Depois, recolhem ovos, pombos e ninhos. Por fim, usam um repelente para afastar novos animais. Doença do pombo: Saiba como evitar o mal infeccioso, que pode matar.

A infecção

» O fungo causa alterações no trato respiratório e no sistema nervoso;
» Pode causar meningite e pneumonia, provoca convulsões, cegueira e surdez;
» A doença pode levar à morte;
» A contaminação ocorre pela aspiração do fungo;
» O fungo está nas fezes do pombo;
» A principal medida preventiva é o controle da população de pombos;
» Os principais sintomas são dores de cabeça, confusão mental e comprometimento pulmonar.

Memória

Mortes no Centro-Oeste
Nos últimos sete anos, ao menos duas pessoas morreram em Goiás e no Mato Grosso com criptococose. Em dezembro de 2011, uma adolescente de 17 anos morreu em consequência da doença em Anápolis (GO). Em 2013, um caso grave foi registrado na região metropolitana de Goiânia. O paciente se recuperou. Em março do ano passado, o funcionário dos Correios de Várzea Grande (MT) Celso Luis Gomes, 47 anos, morreu afetado pelo fungo.
Site:www.correiobraziliense.com.br

Atingida por fogo, Creche Alecrim vai reabrir, mas ainda precisa de doações

Nos últimos dias, 16 operários, cedidos por uma empresa, deram início à reforma que deve ser concluída nesta sexta-feira (16/2)

Em 7 de fevereiro, as chamas destruíram a cozinha, o refeitório e o depósito da instituição que abriga 107 crianças, de zero a 5 anos. A reforma, que contou com apoio da comunidade, deve ser concluída hoje (foto: Divulgação)

Um verdadeiro mutirão de solidariedade se formou para deixar a Creche Alecrim em condições de reabrir as portas e voltar a receber as 107 crianças que atende, na Cidade Estrutural. Há exatos nove dias, a cozinha, o depósito e o refeitório da instituição beneficente foram consumidos por um incêndio. Em pleno carnaval, 16 operários, cedidos por uma empresa, deram início à reforma que deve ser concluída hoje, com a colocação de pias e torneiras.

“Foram seis dias de trabalho intenso, sem folga para ninguém brincar na festa do Momo”, confirmou o supervisor da obra, Francielto de Sousa Miranda, 36 anos. A intenção é deixar o prédio em condições para o ano letivo começar na próxima segunda-feira, planeja a coordenadora-geral da creche, Maria de Jesus Pereira de Sousa.

Continua depois da publicidade

“Graças a Deus, conseguimos muitas coisas. Estou feliz porque as pessoas se mostraram dispostas a nos ajudar. Mas o que temos ainda não é o suficiente para atender os alunos, faltam utensílios básicos de cozinha e alimentos, por exemplo”, enfatizou Maria de Jesus. A instituição recebe crianças de zero até 5 anos que passam o dia no local enquanto seus pais trabalham. Na maioria, são catadores de material reciclável que trabalhavam no antigo Aterro Sanitário do Jóquei.

Para a doméstica Noélia Rodrigues, 31 anos, moradora da Estrutural, o retorno das aulas na creche é importante para todos os pais. De segunda a sexta-feira, ela deixa João Paulo Rodrigues, 5, aos cuidados dos voluntários. “Precisamos da escolinha, porque trabalhamos o dia inteiro. Se não fosse a creche, não teria condições de pagar alguém para ficar com meu filho. Seria um gasto que não tenho como arcar”, afirmou a mãe.

A coordenadora-geral da creche, Maria de Jesus Pereira de Sousa, mostra as doações encaminhadas pela comunidade na última semana (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

Os pequenos ficam na Alecrim das 8h às 17h e fazem cinco refeições por dia, do café da manhã ao jantar. Para muitos pais, a alimentação oferecida pela instituição é essencial para que o dinheiro ganho com o trabalho árduo renda um pouco mais dentro de casa. É o caso do trabalhador rural José Francisco de Oliveira Souza, 40, pai de Luís Felipe Araújo de Souza, 4. “Como ele faz as refeições na escola, quando chega em casa, apenas reforçamos o jantar. É custo a menos no bolso e que ajuda muito, que ajuda em outras contas”, relata o morador da Estrutural.

Para José, as atividades na creche são importantes para o progresso de Luís. “Meu filho Antônio, que está com 7 anos, também frequentou aqui. Quando ele foi para o fundamental, já sabia muita coisa”, falou, orgulhoso. Entre as atividades oferecidas para as crianças, há rodas de conversas, projeção de filmes, aulas de dança, o aprendizado do alfabeto e numerais, sem dispensar a diversão no parquinho.

De acordo com a mãe e cozinheira Maronita Batista de Oliveira, 43, a creche é como a segunda casa para de Matheus Batista dos Santos, 3. “Aqui é um lugar seguro e que tenho confiança em deixar meu filho. Sei que está em boas mãos. O Matheus ama estar aqui e tem um carinho enorme pelas tias e os amiguinhos. A creche faz um trabalho indispensável para a comunidade”, opinou.

Reaproveitamento

Os trabalhadores refizeram a parte elétrica, os encanamentos, o contrapiso, reformaram paredes e o teto dos ambientes danificados pelo fogo. Há pouco mais de uma semana, um dos fornos pegou fogo quando as cozinheiras finalizavam o almoço. Pelo menos 80 crianças estavam na instituição, sendo 17 delas bebês de colo. Ninguém ficou ferido.

Na reforma, foram aproveitadas algumas estruturas, como o reboco da parede, “que foi apenas reforçado antes de receber os ladrilhos”, explicou a coordenadora. Parte do telhado foi reforçado e as paredes, pintadas. Porém, os recursos não foram suficientes para uma reforma geral. “Não tivemos como mexer no telhado da sala de aula”, lamentou. Outros ambientes, como banheiros e quartos, não precisaram ser mexidos.

Além da obra, a comunidade doou alimentos e panelas, que foram perdidos no incêndio. Entretanto, Maria de Jesus Pereira de Sousa disse que ainda é preciso mais donativos para atender os alunos com tranquilidade.

Na cozinha, faltam pratos, talheres, copos e panos de louça. Como o estoque também foi perdido, a instituição precisa de itens básicos como arroz, feijão, leite e biscoitos. Para a higiene dos pequenos, é necessário pasta de dente, papel higiênico, fraldas, talco, sabonete e toalhas de banho.

Apesar das dificuldades, para Maronita está perfeito. “Quando vi tudo ajeitadinho de novo, fiquei super feliz. É muito bom ver que a segunda casa do meu filho está tão linda para atender às crianças”, disse a mãe, com um largo sorriso no rosto.

Às voltas com o que ainda falta ser arrumado, Maria de Jesus planeja também dar mais cor à fachada da escola, pintada de bege, como os ambientes internos. “Estamos vendo se grafiteiros topam nos ajudar. Quero que a entrada passe a sensação de alegria que temos aqui dentro da escola”, concluiu.

O que doar

» Material de construção e oferta de mão de obra
» Utensílios de cozinha
» Materiais de limpeza em geral
» Material de higiene pessoal, inclusive fraldas
» Alimentos não perecíveis
» Leite e sucos
» Brinquedos

Local

Creche Alecrim
Quadra 1, Conjunto 4, Lote 1 — Estrutural
Horário de visita: das 14h às 16h
Telefones: 3465-6005 ou 99575 0755

Site: www.correiobraziliense.com.br