Poetas recitam em creche para filhas de domésticas

Integrantes do grupo OiPoema adotam entidade carente do Lago Sul/DF

Brasília, 10.10.2010 – O DF e seus contrastes surreais: quem pensaria que em pleno Lago Sul, bairro de classe alta de Brasília, uma congregação de apenas sete freiras vive e mantém, sem apoio financeiro sistemático oficial, uma entidade socioeducativa voltada à complementação da formação de filhas de empregadas domésticas que trabalham na região? Ao procurarem uma escola da periferia para adotar como voluntárias e saberem da existência do projeto do Instituto N.Sª da Piedade (INSP), as poetas Angélica Torres Lima e Cristiane Sobral não hesitaram: adotaram a instituição e lá se apresentaram em recital, pela primeira vez, na 3ª feira (14.09), às 15h, para as crianças da 3ª e da 4ª séries.

Partiu do grupo OiPoema essa inédita contraproposta ao Fundo de Arte e Cultura (FAC-SEC/DF), de atuação voluntária em prol de escolas de regiões carentes (ou de instituição carente em região abastada), pelo apoio à publicação de seus novos livros, lançados no dia 28.09, sob o selo da Coleção OiPoema. Cada um dos integrantes, Luís Turiba, Nicolas Behr, Amneres, Bic Prado, Cristiane Sobral e Angélica Torres Lima, adotou uma instituição para promoverem recitais, doação de livros, oficinas de poesia, com os alunos. Luís Turiba, coordenador do OiPoema, advoga que é mais importante ajudar na formação de carentes do que ser presidente, “porque a educação desvia as crianças da rota do tráfico e da prostituição”. No recital de terça-feira, além de leitura e performance de poemas, Angélica e Cristiane conversaram e realizaram dinâmicas sobre a matéria poética com as alunas, que têm entre nove e 11 anos de idade.

“Ficamos muito felizes de saber que o Instituto N.Sª da Piedade será presenteado com o projeto de poesia de vocês, que enriquece a instituição e as crianças ao participarem do mesmo”, disse a diretora ao saber da proposta. Irmã Conceição Oliveira quer, no entanto, a participação de todo o grupo no trabalho educativo do INSP, que mantém hoje 130 crianças, conta com o apoio assistemático de 20 voluntários e tem sido amparado por pessoas da comunidade do Lago Sul e filantropicamente pelo Movimento Maria Cláudia Pela Paz, por iniciativa da pedagoga Cristina Del’Isola.

Com o assassinato da filha Maria Cláudia, aos 19 anos, Cristina Del’Isola sustentou-se nas ações beneficentes do Movimento, entre elas o apoio, via promoção de feiras, quermesses e brechós, em favor do belo Instituto, instalado há 48 anos na chácara 7 da QI 5 do Lago Sul, e mantido a duras penas pelas Irmãs Auxiliares N.Sª da Piedade. No final do ano passado iniciaram-se as obras de recuperação das instalações do Instituto e em maio foi inaugurada a biblioteca, uma realização do Projeto Casa do Saber, da Rede Gasol. A partir de então, ela conta com doações de livros feitas por integrantes e simpatizantes do Movimento, entre eles, diversos escritores e artistas da cidade.

O recital poético da também atriz e professora Cristiane Sobral e da jornalista Angélica Torres Lima foi realizado no espaço que recebeu o nome de Biblioteca Maria Cláudia Del’Isola, em homenagem à jovem,  e o grupo OiPoema se dispôs a colaborar com a iniciativa. (Divulgação OIPOEMA)

Link : N. Sra. da Poesia