Caso Maria Cláudia 8

assassinos de Maria Claudia sejam
seres humanos. A esses que venceram
a barreira do suportável, não se
poderá permitir regalias, deve-se,
ao contrário, invocar com rigor o
cumprimento da pena máxima. Precisamos
parar de proteger assassinos
e jogá-los novamente na vida
social. Para os crimes hediondos, as
penas impostas não podem ser suscetíveis
de benefícios, como a progressão
de regime, a fiança ou anistia
ou a liberdade provisória e o indulto.
O povo brasileiro precisa se
sentir protegido pelo Estado. Tais
criminosos precisam cumprir a pena
máxima sem nenhum benefício.
Rosana Silveira Jobim, por e-mail