DEPOIMENTO DE RÔMULO ANDRADE

Ana Clara, Maria Vitória, Letícia, Aline, Regina, Rosa, Carolina, Débora, Maria Cláudia e tantas outras:

Rosto redondo, olhos castanhos e negros, cabelos sedosos e cacheados, suas trancinhas.
A beleza morena destas meninas, alegres em descobrir significados de palavras e nomes

Lembramos juntos do poema Leilão de Jardim da Cecília Meireles, essa poeta magistral
que teve uma infância tão cheia de perdas, seus pais se foram muito cedo, foi criada pela avó
e encontrou na poesia sua linguagem, compreensão do mundo, resiliência e fortaleza

“Quem me compra um jardim com flores, borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos e ovos verdes e azuis nos ninhos

Quem me compra esse caracol, quem me compra um raio de Sol
E o lagarto entre o muro e a hera, e uma estátua da primavera

Quem me compra esse formigueiro e esse sapo que é jardineiro
e a cigarra e a sua canção, e o grilinho dentro do chão,

Esse é o meu leilão…”

A poeta delicadamente questiona os donos do mundo e mostra como é relativo
o valor financeiro, afinal o que mais importa: a vida em si ou o dinheiro ?

Assistimos também a um desfile dos tamanduás, tesourinhas, tartarugas, peixes e jaguatiricas,
pepalantos, banhos de bica, buritis, luas e nascentes no vídeo A poética do Cerrado
– produzido com esse objetivo, aproximar as crianças da poesia que existe no seu ambiente,
esse bioma tão lindo, tão antigo e meio que sempre ignorado.

Foi tudo muito divertido, acho que elas gostaram.

aldeiabambuzal@gmail.com