Mobilização por justiça

CASO TATINHA
Movimento pede a condenação máxima de réus

Márcia Leite

A sete dias do julgamento dos réus Bernardino do Espírito Santo e Adriana de Jesus dos Santos, acusados de terem violentado e matado a estudante Maria Cláudia Del'Isola, familiares e membros do movimento Maria Cláudia pela Paz voltam a tomar as ruas de Brasília para pedir justiça. O ex-caseiro e a ex-empregada serão levados juntos, a julgamento, marcado para a próxima segunda-feira, às 8h30, no Tribunal do Júri de Brasília.

A partir de hoje, um novo panfleto começa a ser distribuído em vários pontos da cidade, pedindo por justiça e pela condenação máxima dos réus. Durante toda a semana, os voluntários realizam uma programação extensa para mobilizar a sociedade. No domingo, dia 9, quando completarão três anos da morte de Maria Cláudia, o movimento promove uma festa natalina para levar alegria a mil crianças carentes de todo o DF.

No folheto, um texto e uma pequena foto de Maria Cláudia – assassinada em 2004 aos 19 anos – lembram a brutalidade com a qual a jovem foi morta e convidam a população para mais uma manifestação pacífica, no dia do julgamento, em frente ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), a partir das 7h. "Em nome de Maria Cláudia e de todos os que perderam suas vidas de forma tão brutal, pedimos por justiça. Que a lei não permita que esses criminosos voltem às ruas", pede  a coordenadora do movimento, Marta Janeth Pantuzzo.

No domingo, a família decidiu por realizar um evento beneficente de forma a homenagear a memória de Maria Cláudia. E, para isso, reunirá mil crianças carentes para distribuição de brinquedos no Ginásio do colégio Maristão.

São meninos e meninas de várias entidades e comunidades carentes das cidades de Santa Maria, Samambaia, Ceilândia, Núcleo Bandeirante e Guará. "Conseguimos arrecadar quatro caminhões com brinquedos", comemora a coordenadora.

Além das apresentações de teatro, muita música e brincadeiras, também será distribuído um kit com direito a várias guloseimas. "O kit alegria é resultado de uma iniciativa dos alunos do Colégio Marista (escola onde Tatinha estudava). Eles arrecadaram doações em dinheiro e montaram o kit", explica Marta.

Publicado em: 04/12/2007