Médico do IML acusado de abuso sexual está em liberdade provisória


www.correiobraziliense.com.br

Publicação: 20/06/2011 21:32 Atualização: 20/06/2011 21:35

O médico preso na última sexta-feira (17/6), acusado de abusar sexualmente de menores de idade durante exames no Instituto Médico Legal, já está fora da prisão. Ele vai responder, em liberdade provisória, pelo processo de armazenar imagens pornográficas. O acusado ainda será indiciado pelo crime de assédio e estupro de vulnerável cometido contra uma menina de 12 anos, em Luziânia (GO).

De acordo com o delegado da 14ª Delegacia de Polícia do Gama, Guilherme Nogueira, a soltura é um procedimento de rotina. Segundo ele, em depoimento à polícia, prestado no dia da prisão, o acusado alegou que fotografar pacientes é um procedimento corriqueiro no IML. “E limitou-se a dizer que apenas realizou os procedimentos necessários previstos em exames, além de negar ter mantido contato com a criança de 12 anos após o exame”, explicou o delegado.

Prisão
O homem foi surpreendido pela polícia durante um encontro marcado pela mãe da criança. Ele chegou ao local combinado, um ponto de ônibus próximo ao Estádio Bezerrão, no Gama, com um presente para a garota.

O delegado Nogueira informou que o médico trabalhava no IML de Luziânia desde o fim do ano passado. Ele também atendia no Posto de Saúde nº 4 de Samambaia e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no DF (Samu). Casado e pai de um bebê, o médico não tinha passagens na polícia.