Mais jovens são vítimas


Enquanto os homicídios na população total cresceram 20% de 1996 a 2006, entre os jovens o índice aumentou 31,3%. Passaram de 13.186 para 17.312 as vítimas fatais de violência com idade entre 15 e 24 anos no período. Foz do Iguaçu (PR) lidera o ranking de mortes juvenis, com uma taxa de 234,8 por 100 mil habitantes. Em seguida estão Recife (PE) e Santa Cruz de Minas (MG), com 214,3 e 211,8, respectivamente. O balanço, parte do estudo Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros, divulgado ontem, traz ao menos uma notícia alentadora. Houve uma redução de 13% no índice de assassinatos de jovens de 2004 a 2006.

O Mapa da Violência mostrou que, pela primeira vez, o Rio ultrapassou São Paulo no número de homicídios de jovens. Morreram 2.241 rapazes e garotas em 2006 no Rio, contra 2.008 no estado paulista. Para o autor do estudo, Julio Jacobo Wailselfisz, a queda em São Paulo tem relação com o combate à violência articulado por vários atores. Ele cita a participação de 39 prefeituras no Fórum Metropolitano de Segurança Pública e o trabalho realizado pela sociedade civil, por meio do Instituto São Paulo contra a Violência. “Medidas como lei seca, abertura das escolas para prática de esportes, entre outras ações, surtiram um bom efeito”, afirma Jacobo. O levantamento servirá para nortear as ações do Programa Nacional de Segurança Pública, que tem como foco o jovem. (RM)