Distritais resistiram em abrir mão de salários e cogitaram deixar política

www.correiobraziliense.com.br

Ricardo Taffner
Publicação: 29/02/2012 06:27 Atualização:
O clima durante todo o dia de ontem foi de tensão na Câmara Legislativa. Deputados que recebiam normalmente os 14º e 15º salários relutaram em aceitar a ideia de votar um projeto que acabaria com o benefício. No entanto, a pressão externa da opinião pública fez com que os distritais recuassem. A proposição ganhou mais força nos últimos dias, quando sete deputados resolveram ouvir o clamor popular e também abriram mão do benefício. O assunto só foi resolvido na reunião do Colégio de Líderes, no início da tarde desta terça-feira.

Na reunião, alguns distritais demonstraram claramente o descontentamento em debater o tema. Não houve discussão acalorada entre eles, mas parte do colegiado entrou no encontro com a intenção de não permitir a inclusão do projeto de lei na pauta do dia. Pela defesa da aprovação imediata do texto, posicionaram-se o bloco PPS-PSB-PDT e o líder do grupo formado pelo PTB-PP-PR-DEM, o petebista Dr. Charles — apesar da resistência interna de alguns dos seus liderados. Mesmo não concordando com a necessidade da votação, o líder do PT-PRB, Chico Vigilante, logo aderiu à proposta.

A reportagem completa você lê na edição impressa do Correio Braziliense desta quarta-feira (29/2).