Moradores de Águas Claras fazem caminhada em homenagem à Leonardo Monteiro

O rapaz de 29 anos morreu há um ano após uma tentativa de assalto, em meio a uma operação tartaruga da Polícia Militar

postado em 31/01/2015 10:46 / atualizado em 31/01/2015 12:05

Isa Stacciarini , Manoela Alcântara

Amigos e familiares de Leonardo Almeida Monteiro, morto em Águas Claras há um ano durante uma tentativa de assalto, fizeram uma caminhada para pedir paz. Eles saíram da Estação Concessionárias por volta das 9h30 e foram até o local onde o rapaz de 29 anos morreu, na Rua 34 Norte, esquina com a Avenida Castanheiras. No estacionamento externo, todos fizeram uma oração e a mãe de Leonardo, Ana Cleide Almeida, fez um discurso emocionado. Moradores da cidade levaram flores brancas em apoio aos parentes

Leonardo morreu em 29 de janeiro de 2014 durante uma operação tartaruga da Polícia Militar. Ele voltava da academia e foi abordado por três rapazes, um maior e dois adolescentes. “Estou exatemente aonde meu filho perdeu a vida. Hoje consigo seguir em frente por apoio médico e auxílio da sociedade de Águas Claras, mas 365 dias depois, o que ficou de diferente? Nada mudou para melhor. Aliás, a situação piorou, a violência aumentou e vivemos em um país sem lei”, lamentou Ana Cleide. Ela ainda afirmou ter perdido as esperanças de viver de novo na cidade. “São 365 dias de luto, não dá mais para viver assim”.
A administradora de Águas Claras, Patrícia Fleury, acompanhou a passeata e frisou a tentativa de levar uma delegacia de polícia para a região. “Este foi um crime símbolo de Águas Claras. O policimento foi intensificado e estamos tentando trazer uma delegacia para cá. No entanto, devido à crise, não há previsão de quando isso acontecerá”, disse. A homenagem acabou por volta das 10h20.