Paciente com suspeita de ebola deve ser transferido hoje para o Hran

O homem com suspeita de contaminação pelo vírus é um espanhol que viajou à África e teve contato com um amigo que morreu

postado em 18/06/2015 07:00
Camila Costa
Falta de medicamentos, de leito em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), de alimentação e até de lençóis limpos. Para piorar, a rede pública de saúde do Distrito Federal enfrenta uma endemia da superbactéria KPC e, agora, está diante de um possível caso de contaminação por ebola, vírus altamente infeccioso, com taxa de mortalidade entre 24% e 90%, dependendo da cepa. Na África Ocidental, uma epidemia da doença contaminou mais de 27 mil pessoas desde o início do ano passado, das quais 11.184 morreram, segundo balanço atualizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na última terça-feira.

Saiba mais

· Paciente com sintomas característicos de ebola é internado em Sobradinho
O paciente com suspeita de ebola é um espanhol que esteve há pouco tempo na Libéria, país em que 4.806 pessoas morreram em decorrência do vírus desde o início da epidemia. Ele deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho, na tarde de ontem, e está isolado. Segundo o diretor do Hospital Regional de Sobradinho, Manoel Luiz, é preciso esperar o resultado do exame de sorologia para atestar que ele está, de fato, com ebola. “É um paciente com histórico de saúde complicado e tem diversas passagens pela nossa regional. Ele apresenta febre e relata que esteve com um amigo, na África, que estava doente e morreu; no entanto, existem outras patologias relacionadas”, explicou Luiz.
O exame que confirmará o diagnóstico do paciente poderá demorar mais de 24 horas para ficar pronto e, enquanto isso, ele continuará isolado. A previsão é de que seja transferido ainda hoje para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). A equipe de vigilância epidemiológica foi notificada e acompanha o caso. Por precaução, a Secretaria de Saúde do DF determinou que todos os profissionais que tratam do paciente estejam devidamente equipados com os itens de segurança, como luva, máscara, capote e gorro.

O vírus

O ebola não é transmitido pelo ar. O contágio entre humanos se dá por meio do contato com sangue, secreções ou outros fluidos corpóreos de uma pessoa infectada e somente quando o paciente apresenta sintomas da doença.

Sintomas iniciais:
» Febre repentina
» Fraqueza
» Dor muscular
» Dores de cabeça
» Inflamação na garganta

» Após os sintomas iniciais, o infectado apresenta vômito, diarreia, coceiras, deficiência nas funções hepáticas e renais e, em alguns casos, sangramentos interno e externo.

» Os sintomas podem aparecer de dois a 21 dias após a exposição ao vírus.

Como diagnosticar?

» O diagnóstico do Ebola é difícil porque os primeiros sintomas são comuns a outras infecções. A contaminação só pode ser confirmada em laboratório, após a realização de cinco diferentes testes.