Turista é a primeira vítima de ataque de tubarão em Fernando de Noronha

Diário de Pernambuco

Teresa Maia/DP

Até agora não havia registros de ataque na Ilha

image001

No final da tarde desta segunda-feira, um turista paranaense de 33 anos foi vítima de um ataque de tubarão no Arquipélago de Fernando de Noronha. O incidente ocorreu na Praia do Sueste, parte do Parque Nacional Marinho, e o rapaz, que não teve a identidade revelada, foi levado por seus familiares para o Hospital São Lucas, a única unidade de saúde do da Ilha. A vítima teve o antebraço amputado, mas seu estado de saúde é estável. Este é o primeiro ataque registrado em Fernando de Noronha.

O primeiro atendimento ao turista foi realizado por uma equipe médica local, em conjunto com cirurgião, ortopedista e anestesista que estavam na região a passeio. É essencial para seu quadro de saúde que seja realizada sua transferência para uma unidade de saúde que atenda casos de alta complexidade, portanto sua saída da ilha será realizada em UTI Aérea para o Hospital da Restauração, no Recife, às 5h da manhã desta terça-feira. A transferência do turista foi realizada pela a Administração da Ilha, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, após a estabilização de seu ferimento. Não existem voos noturnos em Fernando de Noronha.

A Baía do Sueste, local do ataque, é um dos principais locais de alimentação de tartarugas marinhas da região. A Praia é de responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Para realizar mergulhos na área, é necessário, além do pagamento de taxa de conservação ambiental, seguir regras pré-estabelecidas, como permanecer apenas na região demarcada por boias. Em parte do costão direito da Baía do Sueste, existe uma grande abundância de tubarões, que podem ser encontrados durante passeios com guias mergulhadores.

Neste ano, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade proibiu que visitantes levem “paus de selfie” para as praias sob sua responsabilidade, após um visitante utilizar a haste do equipamento para tocar em um tubarão.

Ataques
Este é o 61º ataque de tubarão em solo pernambucano. Já foram registradas 24 mortes por este tipo de ataque desde 1992. O último ocorreu na Praia Del Chifre, em Olinda, Região Metropolitana do Recife, e deixou ferido o surfista Diego Gomes Mota, de 23 anos. Ele foi atacado na face anterior da coxa esquerda, enquanto estava no mar com dois amigos.

Já a última morte ocorreu em julho 2013, quando a estudante paulista Bruna Silva Gobbi, de 18 anos, foi atacada na Praia de Boa Viagem enquanto nadava a cerca de 20m da faixa de areia. Ela foi mordida na coxa esquerda e, além de perder muito sangue, sofreu paradas cardiorrespiratórias durante o seu atendimento. Bruna, que morreu na noite do mesmo dia do ataque, foi levada a UPA da Imbiribeira, na Zona Sul, e posteriormente ao Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife.

Site:www.correiobraziliense.com.br