Condenado a 93 anos por roubo, associação criminosa e assassinato foi abordado por uma equipe da PM. Ele estava em Brazlândia, em um carro roubado no sábado

image001 (1)

Na troca de tiros com policiais militares, Levino Pereira de Brito, 37 anos, levou um tiro na perna

Um dos 10 homens que fugiram do Complexo Penitenciário da Papuda há uma semana morreu após uma troca de tiros com policiais, na madrugada de ontem, em Brazlândia. Levino Pereira de Brito, 37 anos, estava em um carro roubado e reagiu à abordagem de uma equipe da Polícia Militar, por volta das 2h, durante um patrulhamento na Quadra 34 da cidade.

Os militares do batalhão de Brazlândia avistaram um carro roubado na tarde anterior, modelo Chevrolet Vectra, na cor prata, e deram ordem de parada. Levino não obedeceu ao comando e fugiu em alta velocidade. Em meio à perseguição, ele perdeu o controle do carro e parou em cima da calçada, em frente à Igreja Avivamento Mundial, na Quadra 38 da Vila São José.

De acordo com os militares, eles deram outro comando para o homem se render, mas Levino abandonou o veículo pela porta de passageiro e continuou a fuga a pé. Os policiais seguiram o criminoso, que sacou uma arma e efetuou dois disparos. Os PMs revidaram e Levino foi baleado na perna esquerda. O projétil acertou a veia femural, vital para o ser humano. Os policiais militares ainda acionaram o Corpo de Bombeiros. Mas, ao chegarem ao local, após cerca de 10 minutos, os socorristas encontraram o homem sem vida.

Os policiais só descobriram que o suspeito era um dos foragidos da Papuda após ele ser baleado. Ao se aproximarem para apreender a arma e verificar os ferimentos do criminoso, os militares checaram os documentos e constataram se tratar de um dos fugitivos.

O carro roubado tinha placa adulterada. O suspeito usou fita isolante para transformar a letra P em um R. O dono do veículo, um policial militar do estado de Goiás, reconheceu Levino como um dos dois autores do roubo ocorrido no sábado, às 15h, na Vendinha (GO), Entorno do Distrito Federal. Além do carro, foram apreendidas uma arma calibre 22 com sete munições, sendo duas deflagradas e mais nove no bolso do foragido.

Ficha extensa

Levino fugiu da Papuda há uma semana, com outros noves presos, na maior fuga da história do sistema penitenciário do DF. Destes, seis foram capturados e três seguem foragidos. Os criminosos estavam na Penitenciária do Distrito Federal 1 (PDF 1), conhecida como Cascavel, onde ficam os presos considerados de maior periculosidade, condenados pela Justiça. O local recebe detentos que cumprem pena de 20 a 30 anos. Levino estava preso desde 2012, cumpria pena por roubo, associação criminosa, homicídio. Somadas, as penas renderam 93 anos de prisão.

Este é o segundo caso de presos foragidos da Papuda em fevereiro. No primeiro episódio, em 2 de fevereiro, cinco internos do Centro de Detenção Provisória (CDP) pularam o muro da penitenciária. Três foram encontrados no mesmo dia, e os outros foram capturados dias depois, em flagrante por assalto.

Na quinta-feira, outra tentativa de fuga foi identificada pelo serviço de inteligência do CDP. Irregularidades em uma das celas onde ficam homens à espera do julgamento foram detectadas e agentes da polícia confirmaram o dano. Os agentes penitenciários e os agentes da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE) iniciaram uma operação de revista e a fuga foi frustrada.

Crise exposta

A fuga dos prisioneiros da Papuda expôs a falta de investimento no setor e derrubou a cúpula do sistema prisional. Além disso, a gestão pública dos presídios voltou a ficar sob a responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social – antes fazia parte da Secretaria de Justiça e Cidadania.

O sistema conta com 14.517 internos para 7.411 vagas, ou seja, está 95,8% acima do limite. A superlotação, falta de servidores, equipamentos adequados, estrutura física e suporte são alguns dos pontos principais apontados na crise do sistema penitenciário.

Em coletiva realizada ontem, o coronel Antônio Carlos Freitas, chefe da Comunicação Social da PM, ressaltou que a corporação determinou que os batalhões intensifiquem as abordagens até a captura de todos os foragidos. Militares lotados em funções administrativas estão sendo remanejados para as ruas para aumentar o efetivo.

Quem segue foragido
(Subsecretaria de Sistema Penitenciário/Divulgação)

image002
Gerson Inácio Ferreira
Idade: 31 anos
Condenações: homicídio e ocultação de cadáver
Pena: 29 anos
Preso desde: 2012
(Sesipe/Divulgação)

image003
Marcos Antônio Moreira dos Santos
Idade: 32 anos
Condenações: roubo e receptação de veículos roubados
Pena: 93 anos
Preso desde: 2003
(Sesipe/Divulgação)

image004Michael da Mata Silva
Idade: 25 anos
Condenações: homicídio qualificado e roubo com uso de arma
Pena: 63 anos
Preso desde: 2009

Denuncie
Qualquer informação sobre os foragidos podem ser passadas para os seguintes telefones:

» 3349-1345 (Diretoria Penitenciária de Operações Especiais) 197 (Polícia Civil)
» 8626-1197 (WhatsApp do PCDF)
» 190 (Polícia Militar)