Pela segunda vez, serial killer é condenado a 20 anos por assassinato

O vigilante enfrentou o segundo júri popular na manhã desta quarta-feira. Acusação e defesa já recorreram.

image001Renato Alves
TJGO/DivulgaçãoO júri popular entendeu que ele cometeu homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima

Acusado de ser um serial killer, o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, 28 anos, acaba de ser condenado a 20 anos de prisão pela morte da auxiliar administrativa Juliana Neubia Dias, 22. O júri popular, realizado na manhã desta quarta-feira (2/3), em Goiânia (GO), entendeu que ele cometeu homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

O crime aconteceu em julho de 2014. Tanto a defesa quanto a acusação já recorreram. Apontado como serial killer, ele é acusado de matar mais de 30 pessoas.

Esse foi o segundo júri popular enfrentado por Tiago Henrique. No último dia 16, ele foi condenado a 20 anos de prisão pela morte da estudante Ana Karla Lemes da Silva, 15 anos.

Desta vez, sete jurados, sendo quatro homens e três mulheres analisaram as teses apresentadas pela acusação e a defesa e, em seguida, julgaram nove quesitos. Em sentença lida pelo presidente da sessão, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, eles concluíram que o vigilante é culpado pela morte de Juliana.

Parada no semáforo

Juliana foi morta a tiros no dia 26 de julho de 2014. Ela foi alvejada dentro de um carro que estava parado em um semáforo na Avenida D, no Setor Oeste, em Goiânia. O namorado e uma amiga também estavam no automóvel.

Na época, o companheiro da vítima disse à Polícia Militar que um motociclista parou ao lado do carro e efetuou diversos disparos. A auxiliar administrativa foi atingida por dois tiros, um no pescoço e outro no tórax. A amiga de Juliana que também estava no veículo foi atingida com o tiro no rosto, mas sobreviveu.

O exame de balística confirmou que arma apreendida na casa do acusado foi a mesma utilizada no crime.

Site:www.correiobraziliense.com.br