E haja frio!

As duas últimas semanas foram as mais geladas do ano na capital. Os termômetros chegaram a marcar sensação térmica de 6ºC na segunda. E a previsão é de temperaturas mais baixas e dias muito secos.
image001 (3)

Publicação: 30/06/2016 04:00
As manhãs geladas têm desanimado Ioléte Alves a fazer as habituais caminhadas:

As manhãs geladas têm desanimado Ioléte Alves a fazer as habituais caminhadas: “Está muito gelado para sair”
jaqueta

Vendedor de casacos, Guilherme Bandeira não tem do que reclamar da chegada do inverno:

Vendedor de casacos, Guilherme Bandeira não tem do que reclamar da chegada do inverno: “As vendas subiram muito”

Junho chega ao fim como o mês mais frio do ano na capital. Antes mesmo do início oficial do inverno, no dia 18, os termômetros chegaram a registrar a temperatura mínima de 9,9°C. Na última segunda-feira, as constantes rajadas de vento deixaram a sensação térmica em 6°C. E o brasiliense que se prepare, pois as noites e as madrugadas geladas estão só começando. Devem continuar até setembro, acompanhadas de muita secura.

De acordo com a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Lilian Caldas, com o frio, uma massa de ar seco está sobre a região e deve permanecer até outubro. “A falta de umidade ataca, principalmente, durante o período da tarde, quando, geralmente, marca a mínima de 30%”, detalha. É também durante a tarde que os termômetros atingem os pontos mais altos, com média de 25ºC.

E a população tem sentido na pele essa variação térmica. A comerciante Ioléte Alves conta que, com a chegada do inverno, precisou mudar a rotina. “Parei de fazer caminhada pela manhã, está muito gelado para sair. Até menos água estou bebendo”, relata. Se alguns reclamam do clima, aqueles que trabalham no comércio de roupas de inverno só têm a festejar. O gaúcho Guilherme Bandeira mora no Distrito Federal há 20 anos e vende casacos em um caminhão. “Agora que o tempo esfriou, as vendas subiram muito. Trabalho nas ruas e, por onde eu passo, sempre existe procura”, comemora.

Segundo o Inmet, o clima gelado é causado pelo El Ninõ — fenômeno climático, de caráter atmosférico-oceânico, em que ocorre o aquecimento das águas do Oceano Pacífico e afeta diretamente o clima brasileiro.

Problemas de saúde
A mistura do tempo frio com a massa de ar seco desencadeia diversas doenças respiratórias, que levam à lotação dos ambulatórios. Entre as principais, estão rinite, resfriados, dores de garganta e crises alérgicas. O pneumologista Thiago Fuscaldi alerta para os cuidados especiais com crianças, idosos e pessoas que estão em grupos de risco, como as que sofrem com enfermidades crônicas ou que atacam o sistema imunológico. “Em casos normais, o resfriado passa em até 48 horas. Se demorar mais que isso ou se o paciente estiver se sentido muito prostrado pelos sintomas, é importante ir ao posto”, aconselha.

Quem não está acostumado com o clima de Brasília reclama do frio e do tempo seco, e acaba sofrendo mais nesta época. É o caso de Wesley Oliveira. Nascido no Rio de Janeiro, ele atualmente mora e trabalha na capital. “No Rio, o tempo é mais quente e úmido. Aqui, acabo ficando gripado mais facilmente, e a baixa umidade faz a minha pele ficar muito ressecada”, conta.

Para diminuir os casos de gripe, o pneumologista aconselha que, mesmo no frio, evite-se ficar em locais públicos sem ventilação. “É importante deixar os ambientes arejados. Mesmo se estiver gelado, as janelas precisam ficar abertas, pois esta época do ano é muito propicia a doenças contagiosas”, justifica.

“É importante deixar os ambientes arejados. Mesmo se estiver gelado,
as janelas precisam ficar abertas”
Thiago Fuscaldi,
pneumologista

Termômetro em baixa

As temperaturas mais frias nos meses de junho de 2015 e 2016. As duas últimas semanas, foram as mais frias do ano.

2016
» 1º/6 – 17ºC
» 9/6 – 18ºC
» 18/6 – 9,9ºC
» 27/6 – 10ºC

2015
» 1º/6 – 15ºC
» 9/6 – 14ºC
» 18/6 – 16ºC
» 27/6 – 12ºC

Site:www.correiobraziliense.com.br